Love Cuca
Subscrever Texto
mail submit

José Pracana

Posted on

No meio de um dia de calor, de férias, já com saudades e longe de Portugal, recebo uma das noticias mais tristes da minha vida pessoal e artística: a perda do nosso querido José Pracana.

Quando comecei a cantar era ele uma das pessoas que mais palavras de carinho me dirigia, ficava fascinada a ouvi-lo contar as suas histórias do Fado, da Amália ao Alfredo Marceneiro, de Maria Teresa de Noronha a Teresa Tarouca. Eram histórias encantadoras..

O José Pracana é alguém que irei admirar sempre, pela pessoa que era, mas acima de tudo pelo carinho tão grande e a gratidão. Por tudo aquilo que representa na minha vida do Fado também.

José Pracana

O José Pracana não era só um grande guitarrista que deixou tanto ao Fado, era realmente alguém muito especial, com uns valores como hoje já há muito poucos, que prendia na sua forma de falar, de cantar, de tocar e também na sua alegria jovial e imensa inteligência emocional. Era também um homem muito culto mas acima de tudo culto nas coisas da alma, na música e no sentimento que a Arte transmite – que nele se notaram de uma forma tão subtil.

José Pracana 012

Foi com ele que fui a primeira vez aos Açores, mais propriamente a São Miguel, onde tive a oportunidade de cantar num concerto seu no Teatro de S. Miguel. Também pude conhecer a sua famosa “cave” (casa de fados), onde existe um enorme espólio de fado e de raras vivências, não só na atmosfera, mas nas peças únicas que ali se encontram expostas e nas fotografias das paredes que contam tantas histórias. Ali cantamos, ali partilhamos, ali sorrimos, ali fui muito feliz e tão bem recebida e são noites que jamais poderei esquecer .

Diario de Noticias - José Pracana

Outro dos momentos que não esqueço foi quando me levou pela primeira vez à Lagoa do Fogo, para mim, a mais bonita do mundo.

Com ele cantei em muitos concertos, programas de televisão, numa mesa redonda sobre fado e num cruzeiro de Fado. E tive o prazer de o ter como convidado especial num concerto meu – na primeira vez que viria a cantar a solo no Coliseu Micaelense (Ponta Delgada), em Junho de 2012.

José Pracana

José Pracana lutava contra uma doença sem tréguas, parecendo que tinha sete vidas e que a própria doença tinha de se reinventar para lutar contra ele. O seu sorriso e seu “coração” eram sempre mais fortes que a mesma doença e acima de tudo o espírito. Mas o dia chegou.

Ao meu querido José Pracana um obrigado eterno e uma saudade que não terá fim.

LOVE
Cuca

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

partilhar
0