Love Cuca
Subscrever Texto
mail submit

Voltei à escola e jantei numa cantina!

Já ouviram falar da Cantina da Estrela? É o restaurante do Hotel da Estrela e recria o ambiente de uma antiga escola! Voltei literalmente a sentar-me em carteiras, mas desta vez, para jantar! Foi uma noite muito divertida e quis partilhar com vocês este spot imperdivel mesmo no centro de Lisboa.

partilhar
0

O Yoga na minha vida

O yoga é dos desportos mais importantes da minha vida. Talvez haja quem tenha um visão errada sobre esta prática. Há quem se aproxime do yoga com o objetivo de encontrar flexibilidade, força ou na esperança de superar limites… quem o faz, desiste rapidamente.

O yoga é individual – é uma meditação una com o nosso Eu.

partilhar
1

Já há GAP KIDS em Portugal (E o Lopo ficou feliz!)

Todos sabemos o que é adorar uma marca que não existe em Portugal. Resta-nos duas hipóteses: comprar online ou visitar um país que tenha uma loja. Mas, sejamos sinceros, a logística é sempre mais complicada e por mim falo. Sempre que viajo, a GAP é uma paragem obrigatória para (re)abastecer o guarda-roupa do Lopo com peças de boa qualidade e preços em conta.

partilhar
0

Ser artista

Ser artista é ser realizador,
Ser artista é ser um espectador,
Estar na vida mesmo à saída,
É estar no limite da ferida,

partilhar
0

Memórias após a perda

A saudade chega a ser agonizante. Mas não há pior castigo no mundo, do que as memórias…As memórias são intensas e sucessivas. São reais demais, vêm sem perguntar e aumentam a tortura que a saudade já por si só tem.

partilhar
0

O amor que procurei a vida toda

Encontrei o amor que procurei a vida toda. É verdade que sempre vivi muito intensamente. Sempre fui apaixonada, romântica, sonhadora, excessiva, filosófica, espiritual, e sempre acreditei que iria realmente encontrar o meu príncipe encantado. Construir uma minha família. Vivermos felizes para sempre.

Nem sempre foi assim, durante o caminho, os sonhos caíam por terra e senti-me incompreendida, injustiçada, e novamente invadida por uma tristeza, uma descrença e, depois, outra vez uma desilusão.

Chegava a pensar que sonhava demais, mas logo, logo, voltava a acreditar em tudo de novo com a mesma força! Deixando, claro está, preocupado quem achava que eu procurava a perfeição.

partilhar
0